Nova Batida : Seun Kuti, Peanut Butter Wolf, Octa Push, Riot e Blaya Juntam-se em Alcântara

Little Dragon, Seun Kuti (na foto), Peanut Butter Wolf, os portugueses Riot e Blaya (Buraka Som Sistema) e Octa Push são alguns dos nomes que fecham o cartaz da primeira edição do Nova Batida, festival lisboeta marcado para os dias 14 e 15 de Setembro, reforçando assim a aposta em alguns dos mais interessantes projectos da música de dança, hip hop e electrónica à escala mundial. A ter lugar entre o LX Factory e o Village Underground, o evento contará com mais de vinte actuações e um cartaz de actividades complementares que prometem juntar música, arte, cultura e lifestyle.

Desde o disco de estreia homónimo que os suecos Little Dragon se assumiram como embaixadores de alguma da melhor pop-rock-electrónica que a Europa produz aos nossos dias. Voltam a Portugal com novo disco na carteira, Season High, editado com selo Loma Vista Recordings, novo capítulo de sucesso nos mais de vinte anos de carreira destes embaixadores do synth-pop atmosférico.

Filho mais novo do lendário Fela Kuti, Seun Kuti assumiu, em tenra idade, a responsabilidade de dar seguimentos aos trabalho político e social iniciado pela música do pai. Com apenas 14 anos já era a voz principal dos Egypt 80, veículo através do qual explorou, de forma cada vez mais singular, a história e cultura africana. Com o tempo, haveria de levar o legado deixado por Fela a novos caminhos, menos direccionados para os poderes políticos, mas mais centrado na educação e mobilização da sua audiência e, aí, conquistando a sua própria identidade.

É de história que se fala também com Peanut Butter Wolf. Um dos nomes da primeira linha da Stones Throw Records, meca de edição mundial, responsável por nos apresentar nomes como Madlib, J Dilla, Quasimoto, Madvillain, Dam-Funk ou Anderson.Paak (apenas para mencionar alguns). Voraz coleccionador de discos, começou a produzir beats nos anos 80, ao mesmo tempo que alimentava a sua paixão por descobrir novos talentos. Com olhar clínico para o ecletismo passeia pelo rap, folk ou funk, montando, como poucos, uma actuação ao vivo que conecta vinil e visuais de arquivo.

Ciclo de nomes em destaque fechado com Camila Fuchs, o duo, composto por Camila de Laborde e Daniel Hermann-Collini. Cruzando electrónica com melodias desconstruídas, filtram as emoções por entre as paisagens nublosas da sua música.

Atenção ainda para as confirmações nacionais: Riot e Blaya (Buraka Som Sistema) e Octa Push. A lista fica fechada com o ecletismo de Howsons Groove, o espírito globethrotter de Izem, as incursões na música de dança com raízes etnográficas de Afriquoi Djset, Fiesta Bombarda e La Flama Blanca, os graves artesanais dos Simply Rockers Soundsystem, e as actuações de Miki Mak, Yazmin Lacey, Stamp The Wax Djs, Mafalda e Tuckshop Djs.

Na sua primeira edição, o line-up do Nova Batida juntará, assim, alguns dos melhores talentos internacionais passando por novos, excitantes e diversos géneros musicais. Os nomes agora avançados juntam-se aos já públicos: Mount Kimbie, Maribou State, Gilles Peterson, George Fitzgerald, Max Cooper, MNDSGN, Anchorsong, Connie Constance, Lefto, Rita Maia, Owiny Sigoma Sound System, DJ Marfox.

Além da música o evento promoverá aulas de surf e yoga e outras animações de rua numa proposta alargada que pretende ser também um roteiro de apresentação para a cidade de Lisboa e as suas múltiplas comunidades e dimensões.