Chico Buarque : As Suas Caravanas Passam por Concertos em Portugal

Nome maior entre os maiores da música brasileira, Chico Buarque regressa a Portugal para apresentar o seu novo e (involuntariamente) polémico álbum “Caravanas”. São cinco concertos, dois deles no Coliseu do Porto (dias 2 e 3 de Junho) e três no Coliseu dos Recreios, em Lisboa (dias 7, 8 e 9 de Junho). O comunicado:

Chico Buarque, um dos maiores compositores e uma das mais impressionantes vozes brasileiras de todos os tempos, apresenta “Caravanas” em Portugal com cinco datas nos coliseus. O músico sobe ao palco do Coliseu do Porto nos dias 02 e 03 de junho e atua em Lisboa, com três datas, nos dias 07, 08 e 09 de junho. Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais.

Depois de estrear a sua mais recente digressão em Belo Horizonte e passar pelo Rio de Janeiro, num total de 25 datas, onde foi visto por quase 50 mil pessoas, Chico Buarque inicia em março mais uma temporada da tournée do novo espetáculo “Caravanas”, inspirado no 38.º álbum de estúdio da sua carreira, lançado no passado mês de julho.

O álbum “Caravanas” está presente na íntegra e não inspira apenas o espetáculo, mas dá rumo a todo o repertório. As restantes canções escolhidas dialogam com as mais recentes, seja por afinidades musicais ou temáticas. Através delas, Chico revisita sua própria história e reafirma, mesmo que não intencionalmente, a intemporalidade da sua criação.

O espetáculo traz ainda 19 canções de diferentes décadas, do início dos anos 60 até hoje. A obra de Chico confunde-se com a própria história do Brasil. Cronista apurado de seu tempo, traçou, em mais de 50 anos de carreira, um painel preciso do país, com seus contrastes, belezas e paixões inflamadas. Chico Buarque irá ainda neste espetáculo apresentar um tema da autoria de Assis Valente, duas parcerias feitos com Tom Jobim, que nunca estiveram presentes nos seus espetáculos oficiais e ainda clássicos que há muito não são apresentados ao vivo.

Os elogios à estreia de “Caravanas” foram unânimes. Além do público que esgotou as cinco noites em Belo Horizonte, a imprensa aclamou o espetáculo: “É uma resposta a todo estado de grita surda que configura o país e o mundo hoje (…) o compositor responde ao mundo torto reafirmando um mundo maior”.

O espetáculo é dedicado a Wilson das Neves, que faleceu em agosto de 2017. Para relembrar uma canção composta com o parceiro e baterista de várias digressões, Chico interpreta “Grande Hotel”. Os músicos que acompanham o cantor são fiéis companheiros de palco: o maestro, arranjador e violonista Luiz Claudio Ramos, João Rebouças (piano), Bia Paes Leme (teclados e vocais), Chico Batera (percussão), Jorge Helder (contrabaixo), Marcelo Bernardes (flauta e sopros) e Jurim Moreira (bateria), substituindo Wilson das Neves.

Foto: Leo Aversa