Henrique Borges : Uma Nova Incursão pela Guitarra Portuguesa

A nova criação do multifacetado artista Henrique Borges é um três-em-um: o álbum “Incursão” (em que as suas composições originais são interpretadas por ele próprio na guitarra portuguesa, Pedro Santos no acordeão e Vânia Moreira no violoncelo), o livro de fotografias “Urbex” e um conjunto de telediscos filmados com a música que se ouve no disco e nos locais abandonados e cheios de história (em Portugal e no estrangeiro) que se podem visitar no livro. A edição tem data marcada para dia 27 de Abril. O comunicado (e o vídeo do tema-titulo):

E se a guitarra portuguesa deixasse de ter fronteiras e o estilo musical, a atitude e as composições fossem radicalmente diferentes da abordagem tradicional? Foi este o desafio a que Henrique Borges se propôs ao abraçar o seu novo trabalho “Incursão”.

Henrique Borges é um compositor e guitarrista, destacando-se pela abordagem pioneira na forma de tocar guitarra portuguesa.

Tendo iniciado os seus estudos de música aos 15 anos, cedo se deparou com a sonoridade da guitarra portuguesa e influenciado pelas bandas que ouvia na adolescência, criou a sua própria forma de tocar este instrumento, longe do tradicional dedilhado mas antes aplicando as técnicas que conhecia na altura e que até então só se utilizavam em estilos musicais contemporâneos.

O grupo que fundou, Henrique e Sinfonia, foi desde logo acolhido pela crítica e pelo público o que lhe valeu o “Prémio de Banda Revelação” e o “Prémio Jovens Criadores” em 1997.

Em 1999 grava o seu primeiro álbum, intitulado “Concerto”.

Henrique Borges tocou nas mais variadas salas do país (onde se destaca a atuação no Centro Cultural de Belém) e no estrangeiro, tendo no rol das suas atuações uma tournée no Japão.

A par da paixão pela música, Henrique Borges criou o “Lugar da Música”, uma escola dedicada ao ensino de vários instrumentos. Tal empreendimento tomou-lhe muito tempo e obrigou-o a afastar-se da música enquanto instrumentista mas continuou o trabalho de composição.

No próximo dia 27 de Abril edita um inovador projeto artístico, apelidado de “Incursão”, o qual inclui um CD, gravado a solo, no qual a guitarra portuguesa é rainha, um livro de fotografia e vídeos, numa perspetiva única de incursão do autor por lugares abandonados. Este trabalho é o culminar de um largo período de reflexão e inspiração que promete ser revelador de uma nova e original sonoridade musical.