European Folk Network : A Visão de Carlos Borges Ferreira

 

EFN-logo

 

 

31 de Janeiro deste ano foi apresentada publicamente em Glasgow a EUROPEAN FOLK NETWORK  (a partir de agora identificada como EFN)

Decorrria então a mostra de música escocesa Showcase Scotland, certame integrado no festival Celtic Connections e culminava assim um longo processo iniciado em Outubro de 2014.

Foi durante a 2ª edição da English Folk Expo (EFEX) realizada na cidade de Bury (perto de Manchester) entre 16 e 19 de Outubro de 2014 que se efectuou a primeira reunião que conduziria à formalização desta Rede Europeia. Nod Knowles, consultor escolhido pela Burnsong * promoveu um debate com os delegados presentes na EFEX sobre a necessidade de desenvolver (ou não) esforços para a criação de uma “Rede Pan-Europeia” de pessoas e organizações que trabalhem na área da Música Tradicional, à semelhança da norte americana Folk Alliance International.

*(Organização escocesa criada em 2003 para homenagear Robert Burns, poeta escocês do séc. XVIII. Robert Burns recolheu igualmente canções tradicionais escocesas e é considerado o poeta nacional da Escócia. Burnsong – http://www.burnsong.org).

Encontrando-me inscrito no evento, participei nas duas reuniões que então se realizaram, e dado ser o único Português presente no local, fiquei incumbido de estabelecer contactos com associações/organizações culturais e outros potenciais interessados em debater a necessidade duma estrutura europeia.

No final do mês de Outubro durante a WOMEX 2014 em Santiago de Compostela, tive a possibilidade de contactar pessoalmente com alguns dos integrantes deste grupo de  potenciais interessados,  a quem apresentei sucintamente a situação. Com as diversas sugestões de contactos que recebi e com outras que entretanto foram sendo acrescentadas, foi-se constituindo um número considerável de aderentes*, de quem acabei por me tornar o porta-voz da iniciativa em Portugal, representando futuramente o nosso país, nos próximos encontros. A metodologia seguida consistiu em: enviar documentos resultantes das reuniões realizadas a nível internacional, solicitar comentários e sugestões, manifestação de interesse em integrar a EFN e também sugestão de outros contactos para enviar esta documentação, ou reencaminhamento para esses mesmos contactos. Dia 5 de Fevereiro promovi na Casa do Alentejo um encontro do grupo de portugueses que até ao momento tinha manifestado interesse em pertencer à EFN.

* Tradisom, Tocá Rufar, d´Orfeu, PédeXumbo, Sons Vadios, Moda-Canto Alentejano, Identidades, Associação Xarabanda, Melopeia, Museu do Cavaquinho, Lengalenga Gaiteiros de Sendim, Luís Peixoto, Galandum Galundaina, Vasco Ribeiro Casais, António Bexiga, César Prata e Suzete Marques (Ai!).

Já em Setembro de 2015, mais de 70 representantes de 14 países europeus, expressaram o seu vivo interesse em constituir essa rede, tendo reunido em Bruxelas para acertar detalhes e criar formalmente a organização, um Grupo de Trabalho mais restrito de 18 elementos dos seguintes países: Portugal, Irlanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, Escócia, Irlanda do Norte, País de Gales e Inglaterra.**

A EFN tinha nascido, para ser oficialmente lançada em Glasgow a 31 de Janeiro 2016.

Visão/Propósito/Objetivos

http://folkeurope.eu/aim

A rica diversidade de identidades culturais na Europa é expressa e celebrada através da música tradicional e das artes performativas associadas.

A rede existe para apoiar e ampliar a consciência das artes da tradição, como uma força cultural e educacional na Europa.

A EFN existe para:

– Partilhar ideias e experiência e desenvolver acções colectivas;

– Unir para apoiar a música folk/tradicional (mais a colaboração e mútuo apoio do que exportação e promoção de concertos).

– Estimular, promover e apoiar o desenvolvimento da música tradicional e das artes associadas nas suas diversas formas e origens.

– Criar oportunidades para os artistas, organizadores e público de países europeus se conhecerem, comunicarem e colaborarem.

– Fomentar relacionamento com os artistas, organizadores e o público, dentro e fora da Europa.

Adesão

http://folkeurope.eu/membership

A adesão está aberta a todos aqueles (indivíduos e organizações) que trabalham activamente  por toda a Europa nas artes populares / tradicionais. (englobando também as danças, contos populares, representações e tudo o que esteja associado à tradição de cada país).

A possibilidade de filiação na rede deve ser muito ampla, permitindo que diversos sectores ligados à música folk/tradicional possam participar: organizações nacionais “guarda-chuva”, promotores de iniciativas, estações de TV e Rádio (e especialistas/colaboradores na área), revistas, agentes, jornalistas, editoras, artistas, etc.

Ao aderir, os membros comprometem-se a apoiar a visão e os objectivos da rede e a contribuírem para o seu impacto colectivo, voz e trabalho.

Os principais benefícios da adesão são oportunidades para conhecer, compartilhar e colaborar com os outros, aumentando próprios contactos dos membros e de apoio à mobilidade dos artistas e organizadores na Europa.

A organização irá registar-se como uma estrutura jurídica sem fins lucrativos, com uma constituição e funcionamento democráticos (conselho de administração será eleito anualmente pelos membros para o trabalho tendo com cada membro um voto. Os membros irão determinar a direcção da rede.

Os membros pagarão uma taxa de adesão (para fornecer fundos para o seu funcionamento básico): €25 – pessoas individuais; €100 – organizações (€100 pelo primeiro membro da organização e €20 por cada membro da mesma organização que pretenda associar-se com direitode voto).

 

kons

 

Futuro/Ambição

A EFN nos próximos anos incluem:

Proporcionar um fórum para as diversas organizações nacionais e regionais que estão a trabalhar nos seus países na área da música folk/tradicional;

– Trabalhar para obter nos países europeus, um estatuto melhor para a música folk/tradicional;

– Defender a importância da música e da sua estruturação em toda a Europa;

– Desenvolver esforços para apoio e reconhecimento da música, nos vários países e no mais amplo contexto cultural;

– Realizar no mínimo uma reunião anual para que os seus membros se encontrem e partilhem interesses, ideias e boas práticas, criando igualmente oportunidades para artistas e organizadores.

– Apoio mútuo e assistência prática entre membros assim como estabelecimento de parcerias,  projetos criativos que permitam um trabalho em conjunto.

(ex: English Folk Expo, Showcase Scotland/Celtic Connections, etc);

Todas as informações adicionais poderão ser obtidas em www.europeanfolknetwork.com (página em construção onde já estão incluídas algumas informações) ou através de eurofolk.burnsong@gmail.com e info@cbfwebradio.com.
Votos/Agradecimento

Sempre defendi que a música é uma força única para a harmonia e compreensão entre os povos e senti que esta era uma oportunidade de centrar esforços no essencial (a cultura, a música) de forma a fortalecer todo o trabalho já desenvolvido em Portugal pelas Associações Culturais, pelos Músicos Portugueses e por alguns Orgãos de Comunicação Social.

Respeitando a diversidade de culturas inerentes a todos os países europeus, faço votos que a EFN possa vir a trazer um contributo significativo para o crescimento e sustentabilidade das Tradições Musicais Portuguesas.

Ao longo deste processo, Portugal foi referido como o país onde a ideia da criação da EFN maior interesse despertou, excedendo todas as expectativas. Foi gratificante ouvir isto dos nossos parceiros, embora seja a pura verdade dos factos.

Quero por isso agradecer a todos de quem recebi, dentro das suas possibilidades, todo o apoio (assim como as palavras de incentivo), para que a EFN seja hoje uma realidade.

** English Folk Dance and Song Society, trac Cymru, ROSA, CBFwebRADIO/Radio Diana, Armagh Rhymers, de Loecker, Muziek Mozaiek, Traditional Music Forum (TRACS), Sage Gateshead, Regional Cultural Centre Donegal, WOMEX, British Council, Dranouter Festival, Nod Knowles Productions, Burnsong and Kunstenpunt.

 

Carlos Borges Ferreira