Camané : Vence o Prémio Italiano Tenco… E Canta Amanhã com a Orquestra Clássica do Sul

Camané foi um dos vencedores dos prestigiados prémios de música italianos Tenco, que têm distinguido variadíssimos grandes nomes da música mundial de áreas menos “mainstream” e conotados com a chamada world music. Entretanto, o fadista – que se apresta para editar um novo álbum inteiramente dedicado ao reportório de Alfredo Marceneiro – canta amanhã, dia 12, no Calçadão Nascente, em Quarteira, num concerto inédito em que é acompanhado pela Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo Maestro Rui Pinheiro. A notícia da Lusa:

“O fadista Camané, que atua no sábado no Algarve com a Orquestra Clássica do Sul, foi distinguido com o Prémio Tenco, atribuído também aos italianos Vinicio Capossela e a Massimo Ranieri. Este galardão, atribuído desde 1974 pelo Clube Tenco, em homenagem ao cantautor italiano Luigi Tenco (1939-1967), já distinguiu nomes como Léo Ferré, Jacques Brel, Charles Trenet, Joni Mitchell, Leonard Cohen, Patti Smith, Tom Waits, Caetano Veloso, Chico Buarque, e aos portugueses Sérgio Godinho, José Mário Branco e Dulces Pontes, entre outros.

O prémio italiano é entregue no dia 20 de outubro, na abertura da Rassegna della Canzone d’Autore, no Teatro Ariston, em Sanremo, na costa noroeste de Itália. Também em outubro, no dia 6, está previsto a edição do novo álbum de Camané, integralmente constituído por fados de Alfredo Marceneiro (1891-1982).

 O CD Camané canta Marceneiro sucede a Infinito Presente, editado em maio de 2015, e é o oitavo álbum de estúdio do criador de Se ao menos houvesse um dia e, tal como os anteriores, conta com produção, arranjos e direção musical de José Mário Branco, que coassina com Manuela de Freitas a supervisão artística. Camané, distinguido já com três prémios Amália, venceu por duas vezes a Grande Noite do Fado de Lisboa, em juniores e seniores, e, ao longo do seu percurso, passou por várias casas de fado, nomeadamente o restaurante Senhor Vinho, da fadista Maria da Fé e do poeta José Luís Gordo.
No teatro fez parte dos elencos de Grande NoiteMaldita Cocaína e Cabaret, sempre dirigido por Filipe la Féria. Em 2002, participou num espetáculo com Manuela de Freitas, em torno da obra do poeta Fernando Pessoa, que foi apresentado no Palais des Beauxs Arts, em Bruxelas.

A partir de 1995, quando editou o CD Uma noite de fados, os álbuns do fadista foram sempre produzidos pelo músico José Mário Branco. Desde então, conta sete álbuns de estúdio, além dos registos ao vivo, como Camané ao vivo no Coliseu (2009), também em DVD, e das compilações, entre as quais The art of Camané — The prince of fado (2004).

A lista de distinguidos com o Prémio Tenco inclui ainda, entre outros, Cesária Évora, Antonio Carlos Jobim, Milton Nascimento, Gilberto Gil, Pablo Milanés, Lluis Llach, Sergio Endrigo, Domenico Modugno, Renato Carosone, Dario Fo, Roberto Murolo, Milva, Ute Lemper, Maria Del Mar Bonet, Enrique Morente, Noa, Horacio Ferrer, Marianne Faithfull e Angelo Branduardi”.