Budda Power Blues & Maria João : The Blues Experience

Budda Power Blues & Maria João_capa

 

 

Budda Power Blues & Maria João

The Blues Experience

Mobydick Records

 

É talvez o mais inesperado e inusitado projecto que a música em Portugal viu surgir no ano corrente não só porque conseguiu reunir diferentes, e quase antagónicas personalidades musicais, mas porque também conseguiu que elas se encaixassem na perfeição formando um todo coeso e uniforme à volta dum gosto comum pela música, neste caso especifico pelos blues, que, quer se queira, quer não, constituem a génese e base de toda a música negra e até do próprio pop e do rock em geral.

Em “The Blues Experience”, a nossa princesa, diva e voz feminina mais famosa do jazz Maria João une esforços, ideias, gostos e sintonias com Budda (voz, guitarras, bandolim, braguesa e teclados), Nico Guedes (bateria e coros) e com o baixista e teclista Pedro Ferreira, afinal de contas os integrantes do trio bracarense Budda Power Blues. E todos juntos, ao longo das dez composições que preenchem o disco e onde abordam várias problemáticas universais e pessoais, muitas vezes até mesmo autobiográficas, dão um verdadeiro festival de canto e ritmo, conseguindo uma sonoridade muito própria, através de uma grande homogeneidade vocal e instrumental e por vezes deveras surpreendente a que não é certamente alheia toda experiência de palco e estúdio acumulada ao longo dos muitos anos que todos já levam de carreira.

No final conseguiram transformar este disco num projecto musicalmente notável, onde salta à vista uma enorme cumplicidade, num verdadeiro caldeirão de poções como vitalidade, coesão, entrega e energia… Um disco de temas originais simultaneamente arriscado e improvável, mas ritmicamente bem vanguardista de um quarteto que inclui três “missionários” musicais com características próprias, pese embora a notória influência dos blues de Chicago e consequentemente do trio de reis dos blues –os imortais Muddy Waters, Albert King e Freddie King – e que constituiu acima de tudo um surpreendente e inspirado trabalho, ritmicamente dinâmico, por vezes quase explosivo e que acaba por se tornar afinal numa grande e bem conseguida experiência musical.

Um projecto realmente inesquecível, tanto mais que encerra com uma composição verdadeiramente antológica, ”Happy Days Are Gone”, um autêntico tratado vocal de como os blues devem e merecem ser interpretados: com rigor, carisma, sensibilidade e essencialmente… genialidade.

João Afonso

(Uma partilha O Fado & Outras Músicas do Mundo/Escolhas de João Afonso/Tradisom)