Susana Félix : E o Samba da Matrafona (com Zeca Pagodinho e Emicida)

Celebrando as viagens de ida e volta entre o Entrudo português e o Carnaval brasileiro, a cantora Susana Félix chamou dois compinchas da música do lado de lá do Atlântico, Zeca Pagodinho e o rapper Emicida para com ela cantar o “Samba da Matrafona”, em homenagem às suas raízes cravadas em Torres Vedras. Por isso, no Carnaval 2018 desta cidade – pátria das “matrafonas” e palco anual de uma  das mais importantes edições nacionais do Entrudo – vai-se ouvir, em grande destaque, este tema composto por Susana Félix e João Cabrita, com letra da cantora portuguesa e de Emicida. O comunicado (e o vídeo):

O “Samba da Matrafona”, música que celebra o Carnaval de Torres Vedras, foi apresentado no Teatro-Cine de Torres Vedras no passado dia 4 de janeiro.

Susana Félix, cantora e compositora torriense e amante da festa da sua terra, lançou o desafio à Organização do Carnaval e a dois reconhecidos músicos brasileiros e o resultado foi este samba que homenageia os torrienses, o Carnaval de Torres e a Matrafona*.

Susana Félix propôs a criação de uma música que permitisse completar este grande evento com um dos elementos indissociáveis do Carnaval: a música. Foi desta forma que nasceu o “Samba da Matrafona”, que alia o estilo de música predominante no Carnaval, o samba, à história do Carnaval mais português de Portugal.

Além da letra e da música, Susana Félix dá voz a este tema que assume caráter de homenagem a um dos símbolos maiores do Carnaval de Torres Vedras, a Matrafona. No entanto, como samba que é samba, era impensável fazê-lo sem uma boa parceria do outro lado do Atlântico e assim sendo convidou Zeca Pagodinho, rei do samba, e Emicida, reconhecido rapper, para darem o seu contributo na criação do “Samba da Matrafona”, unindo assim também três gerações de músicos.

As músicas brasileiras, em particular o samba, fazem parte da tradição dos festejos do Carnaval e, para não fugir a essa tradição, Susana Félix criou um samba, mas que contém referências sonoras dos bombos dos “Zés Pereira”, uma letra que fala e caracteriza a Matrafona torriense e que se baseia nas marchas do Carnaval do início do século XX. Desta forma singular, a cantora alarga a originalidade de alguns elementos do Carnaval de Portugal também à música.

O “Samba da Matrafona” estará disponível numa edição limitada em vinil, a lançar ainda antes dos festejos do Carnaval de Torres 2018, que têm início a 9 de fevereiro, mas já está disponível para venda digital. Que todos os foliões o cantem de braços abertos no Carnaval de Torres Vedras. O video conta já com 20.000 visualizações no Youtube e com mais de 317 mil no Facebook ultrapassando as 8000 partilhas…